quinta-feira, 31 de março de 2011

berinjela com curry e mel








já falei aqui que eu adoro berinjela, né? dia desses, vi no pimenta no reino, novo blog da faby zanelati, uma receita bastante diferente, que na hora me deu vontade de experimentar.
fui ver, não tinha curry na despensa, então deixei pra outro dia.


curry providenciado, liguei o forno,  fatiei a casca do limão, fiz o confit,  cortei as berinjelas, piquei as cebolas, espremi o limão e fui pegar o mel que estava no armário e do qual eu só via a tampinha. quando vi, tinha menos de uma colher, e isso se eu espremesse muito o frasco!


saí correndo até a padaria mais próxima (1 quadra e meia), não tinha. telefonei na outra, também não tinha. estava indo ao supermercado (3 quadras e meia, mais atravessar a av paulista, o que é um saco!), quando me lembrei que farmácias (2 quadras) costumam vender essas coisas. e não é que tinha mesmo? ainda pude escolher: normal, orgânico, com própolis, florada de x, de y....


gente, o tal do mis en place realmente é importante, viu? separar tudo o que vai usado, antes de começar a fazer a receita - e medir pra ver se vai dar, né?


bom, o resultado é que a berinjela ficou bem gostosa. super diferente, adocicada e picante. 
eu e a nana gostamos. marido disse que sim, mas acho que, como sempre, achou diferente demais para o paladar conservador dele. a empregada fez cara feia!


berinjela com curry e mel


- 4 berinjelas médias cortadas em 4 no sentido do comprimento
- 2 cebolas grandes picadas
- 1 limão siciliano
- 4 colheres de mel
- 1 colher (chá) de curry
- 4 colheres de azeite
- 2 colheres de açúcar
- sal
- pimenta do reino



preaqueça o forno a 180ºC.
para o confit, corte a casca do limão  em juliennes (tiras bem fininhas).
 leve ao fogo em uma panela com água, deixe ferver e escorra a água. 
leve novamente ao fogo, agora com  200ml de água e 2 colheres (sopa) de açucar, e cozinhe bem devagar (cerca de 20 minutos) em fogo baixo. reserve.



em uma vasilha misture a cebola, 1 receita de confit de limão,  mel, suco do limão,  azeite e o curry.  reserve.


disponha as berinjelas em uma assadeira, em uma única camada. tempere com sal e pimenta a gosto e despeje por cima a mistura reservada, mexendo para que toda a berinjela receba o tempero.

Asse por 10 minutos e depois reduza a temperatura do forno para 150ºC, regando com a mistura que se forma na assadeira. Asse por 1 hora ou até que a berinjela fique macia e caramelizada, virando de vez em quando. (a minha demorou mais de 1 hora)




terça-feira, 29 de março de 2011

Whoopies-que-não-parecem-whoopies

Domingo à tarde e uma coisa rara me acontece: estou à toa em casa. Resolvi aproveitar para fazer alguma receita diferente. Aí fucei no meu arquivo de receitas e achei uma de whoopies. Parece que os tais whoopies estão na moda e vão até desbancar os cupcakes. Sei lá, para mim, tem lugar para todos...
E daí que lá vou eu para a cozinha tentar. Para a massa, usei a receita que está descrita passo a passo no Uol (clique para ver a receita com as fotos). Só que não ficou tão firme. Quando tirei do forno, as massinhas tinham ficado beeem chatinhas. Em vez de metadinhas gordinhas, eu consegui isso aqui, uma espécie de panquequinha:


Poxa... Pelo menos ficou bem gostosinho. Menos mal. Aí era hora de fazer o recheio. Eu não tinha esse tal de emulsificante – vou confessar: sei nem o que é isso –, então nem rolava fazer marshmallow. Marshmallow já é o maior grude, não ia ser legal se ficasse molenga, escorrendo. Também não tinha paçoca, que é o outro recheio sugerido. Sabe como é, esta receita não foi assim uma coisa planejada, né?
Fuçando, achei uma receita de recheio que parecia legal, mas bateu a maior preguiça do mundo de sujar a batedeira de novo, usar panela, colocar coisas e banho maria... Para resumir: resolvi fazer com recheio de beijinho mermo. Fácil e tão gostosim... Para fazer uma graça, taquei um tiquinho daquele corante vermelho que usei para fazer os bolinhos red velvet em formato de coração. Só que exagerei e em vez do rosinha que eu queria, o beijinho ficou com cor de goiaba. É só uma firula, mas eu estava mesmo numa vibe colorida, então, por que não? Meus whoopies não parecem exaaatamente whoopies, mas a-do-rei!

domingo, 27 de março de 2011

por que será que ninguém fazia academia nos anos 60?


e precisava?

video

sexta-feira, 25 de março de 2011

Trintinha

Pois é, eu fiz 30 anos. Minha mãe vinha antecipando esse momento desde mais ou menos 2009 ("ih, a Mariana já tá quase fazendo 30!"), e ele finalmente chegou. Sim, eu sei, não significa nada, no fundo. É como fazer 29 ou 31 ou 46. Mas, ao mesmo tempo, mexe com a gente. Essas datas redondas fazem com que a gente pense sobre nossa vida...
Mas nem é sobre isso que eu queria falar. Queria mesmo era contar os dois presentes bacaníssimos que ganhei: o marido me deu uma máquina de escrever antiga (redundância, né) e fofa, a famiglia me deu uma Le Creuset tão linda!
A panela já foi inaugurada em um jantar que fiz para azamiga aqui em casa, mas eu me esqueci de fotografar... Posto uma foto dela depois, pois nesta semana tem outro jantarzinho com outras amigas! O presente, como se vê, está super colaborando para o incremento da minha vida social, olha que maravilha! :D

A máquina é uma Remington Ipanema. Maridim comprou também a fita, mas ainda não coloquei. Ao que parece, super funciona. Não que eu pretenda largar o blog para fazer um fanzine datilografado e distribuir nas ruas, mas, enfim. Virou parte da decoração da casa. Fazia tempo que eu queria uma máquina de escrever. Tão lindinha, olha só:


Colocando na balança: super valeu a pena chegar aos 30!

Ataulização (26 de março): o Theo esteve lá em casa hoje e mandou esta: "Isso é um computador, Nana?". Quer dizer.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Fazendo bolo com o sobrinho

A nova moda na família agora é fazer bolo junto com o sobrinho. Minha mãe já tinha até postado uma foto de quando fizemos o primeiro, há uns dez dias. Aquele era de café e chocolate. Desta vez, usei uma receita da Cozinha da Márcia chamada "bolo de chocolate duzentos".
Desde o primeiro bolo, liberei geral: é o Theo quem quebra os ovos...


...mistura a farinha, joga o fermento, mexe a massa...



Assim, ele se envolve e se empolga. Eu, basicamente, separo os ingredientes e as quantidades, uso a batedeira, mexo no forno e tiro as fotos. O resto, é com ele, inclusive colocar esses dedinhos lindos na massa o tempo todo, para ver se está "ficando bom":


Como o bolo é daqueles beeem molhadinhos (leva um tiquinho de nada de farinha), peguei na minha casa os cortadores de cookies em formato de estrela, só para fazer uma gracinha para o Theo. Ficou muito bom e bonitinho:


O bolo da semana que vem já está planejado: vai ser de limão. E ele foi quem escolheu o sabor.

terça-feira, 22 de março de 2011

avenida paulista



avenida paulista, na visão do theo, com livraria, helicóptero, árvore com pássaro, muitos prédios, carros, nuvens felizes, antena, pedestres e até, quem diria, uma oficina mecânica!

segunda-feira, 21 de março de 2011

bacalhau à gomes de sá

aprendi a fazer esse bacalhau com uma amiga do porto, portugal, que mora há anos no brasil e cozinha maravilhosamente bem.

é um prato que rende bastante e que não exige um excelente bacalhau, nem sua melhor parte. pode ser feito com aquela beiradinha mais fina em vez do lombo, que fica gostoso do mesmo jeito.

é uma maneira um pouco diferente das que tenho visto por aí, mas garanto que o sabor é inigualável. vale a pena experimentar, garanto!

bacalhau à gomes de sá

- 600 g de lombo de  bacalhau  
- 600 g de batatas descascadas e em pedaços
- 600 g de cebolas em rodelas
- 250 ml de azeite extra virgem
- 4 ovos cozidos
- salsinha picada
- 2 folhas de louro
- 2 dentes de alho picadinhos
- azeitonas portuguesas a gosto




deixe o bacalhau de molho na geladeira por 3 dias, com a pele para cima,  trocando a água 3 vezes ao dia (compre o bacalhau com a pele, pois ela deixa o peixe mais macio).


leve ao fogo com bastante água e observe: assim que se formar uma espuma e pouco antes de começar a ferver, desligue o fogo e escorra o bacalhau. nunca deixe ferver (isso vale para qualquer receita). reserve a água.

tire a pele e desfaça em pequenos pedaços. reserve.


na mesma água do bacalhau cozinhe as batatas, escorra  e reserve.


frite a cebola com o louro no azeite até ficarem bem marrons. junte o alho quase no final.

quando eu digo que a cebola fica marrom, é marrom mesmo!










acrescente as batatas e misture bem.










junte o bacalhau, sem parar de mexer. se for preciso, acrescente mais azeite e sal.










separe as claras das gemas. 


pique as claras e junte ao bacalhau.


esmigalhe as gemas e, com a salsa picada, faça uma farofa.

eu não tinha salsinha fresca, usei congelada











num refratário coloque o bacalhau, afunde nele as azeitonas e cubra com a farofa.

marido avisou que ia atrasar, deixei na panela mesmo :)

sábado, 19 de março de 2011

aprendiz de cozinheiro

ó o detalhe da linguinha prá fora

quinta-feira, 17 de março de 2011

gloriosa



update
só não gostei de uma coisa: duraram muito pouco tempo :(
minhas flores costumam durar no mínimo 10 dias no vaso, numa boa, bonitinhas.  estou com astromélias que comprei há 17 dias e que ainda estão perfeitas.
as gloriosas, entretanto, já perdi mais da metade, e as que restaram estão bem feinhas, desbotadas e miúdas.  e só faz 6 dias que comprei.
conclusão: por R$ 30,00 o maço, não vale a pena!


a flor dessa semana aqui em casa é a gloriosa (embora não só ela, por que na sala coexistem, numa boa, 3 orquídeas e um vaso com astromélias).

me disse o rapaz da banca de flores - uma daquelas na avenida dr. arnaldo - que é da família dos lírios, embora não seja perfumada.

eu gosto de flores assim, um pouco agressivas.




sábado, 12 de março de 2011

Bolo Red Velvet

Vamos à receita do bolinho red velvet de que falei no meu post anterior. Veio do blog da loja Barra Doce. Mudei o modo de fazer, já que usei forminhas individuais, e fiz outra cobertura, que originalmente era branca. No link acima, a receita original e abaixo, a minha:

BOLO RED VELVET

- 2 ovos
- 1 1/2 xícaras de óleo
- 1 xícara de buttermilk (que no Brasil é um tal de leitelho -- para fazer em casa: no copo de medida, coloque 1 colher de sopa de suco de limão e complete com leite, misture e deixe descansar por 10 minutos antes de usar para talhar. Não se preocupe, a consistência não muda mesmo...)
- 1 colher de sopa de vinagre
- 1 colher de chá de essência de baunilha
- corante vermelho (tem que ir colocando a olho... usei cerca de um terço do potinho do corante em gel vermelho vermelho da Wilton, que tinha comprado há um tempo no próprio site da Barra Doce)
- 2 1/2 xícaras de farinha de trigo
- 2 xícaras de açúcar
- 1 colher de sopa de cacau em pó
- 1 colher de chá de sal
- 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Preaqueça o forno a 180º. Bata os ovos até ficar bem claro. Acrescente os ingredientes líquidos, inclusive o corante, e bata para misturar bem. Em outra vasilha, misture os ingredientes secos. Eu costumo peneirar tudo. Vá acrescentando os secos à mistura líquida aos poucos, batendo para misturar.
Usei quatro forminhas de cerâmica refratária que comprei na 25 de Março. Untei bem as forminhas com manteiga e farinha e enchi 2/3 com a massa. O que sobrou de massa eu coloquei em forminhas de papel de muffin. Leve ao forno por cerca de 30 minutos, fazendo o teste do palito. Além dos quatro bolinhos em forma de coração, consegui mais 18 muffins! É bastante massa. Esse bolinho é muito macio e o sabor é gostoso, mas digamos que não tenha naaada de muito especial. Por isso, cortei os corações aos meio e passei um tantinho de brigadeiro (que fiz no microondas mesmo) antes de cobrir. Nos muffins, fiz um buraquinho em cima, enchi de brigadeiro e depois cobri.
Para a cobertura, derreti uma barra picada de chocolate meio amargo (170g) e depois misturei com meia caixinha de creme de leite. Espalhei no bolo morno. Essa cobertura fica brilhante na hora, mas depois fica opaca e mais firme (é bom saber, né?).
Deve ser divertido fazer essa receita em outras cores também. Montar um bolo bem psicodélico! ;)



Dedico este post à amiga Mari Levenhagen, que se formou comigo em jornalismo e resolveu montar a Vó Maria Doces para exercitar o lado boleira no tempo livre! Mari, desejo todo o sucesso do mundo!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Jantar de aniversário do marido

É, faz zilênios que eu, agora balzaquiana, não apareço no blog... Tanta coisa, tanta coisa. Em breve, uma novidade também, que anda ocupando grande parte do meu tempo livre, e que eu vou anunciar por aqui.
Enquanto isso... No dia 14 de fevereiro, meu marido fez aniversário. E ainda era Valentine's Day. Eu sei que a gente nem comemora isso aqui, mas resolvi fazer um jantarzinho de aniversário juntando tudo.
A comida era japonesa: o sukiyaki que minha mãe já ensinou aqui. Tirando um pequeno problema com o bifum (alguém aí já comprou um bifum com cheiro e gosto de gordura de porco? Achei uma coisa horrorosa! E não entendi: nos ingredientes, só consta arroz e água...), que precisou ser "pescado" do sukiyaki e jogado fora, o jantar ficou bem gostosinho.


Para fazer uma graça e decorar, imprimi umas estampas coloridas e fiz um monte de coraçõezinhos de origami. Depois, espetei em palitinhos de bambu e coloquei em um vaso, como um buquê.


E a sobremesa... Essa foi a melhor parte. Já fazia tempo que eu queria fazer um bolinho red velvet em formato de coração. Breguinha, mas tão lindo. Para quem não conhece, red velvet é uma receita norte-americana de bolo. Leva corante vermelho e fica bem macio. O gosto não é naaaada extraordinário, mas o visual vale a pena. A massa crua é a coisa mais linda.:


Costuma-se usar uma cobertura branca, daquelas feitas com cream cheese, mas isso não faria muito sucesso com o maridim, apesar do apelo visual... Então, mandei ver no chocolate mermo! Usei umas forminhas de cerâmica que comprei na 25 de março, em formato de coração. Untei bem e, para minha alegria, desenformou direitinho! Antes de desenformar, passei uma faca rente à forma e tirei esse excesso que cresceu para cima.




Usei só 4 forminhas de coração, o resto da massa eu assei como muffin. Depois, recheei tudo com brigadeiro (só um pouquinho) e cobri com ganache de chocolate.



Ficou bonitinho, né não?
No próximo post, para este aqui não ficar tão gigante, dou a receita do bolo.

quarta-feira, 2 de março de 2011

hoje o dia é da natália

hoje o niver é da caçulinha - 26 anos.

quando ela nasceu foi eleita pelas enfermeiras a rainha do berçário. era, e ainda é, linda, muito linda!

sempre foi brava e teimosa, o que às vezes é qualidade e outras é defeito. mas sabe o que quer e vai atrás, e isso é ótimo!

parabéns, nati!



aniversário de 3 anos

na época da ginástica olímpica