quinta-feira, 2 de julho de 2009

hoje eu tô muito brava!!!



ontem, por volta das 9 da noite, a filha caçula estacionou o carro em frente ao apartamento do filho (estávamos todos lá, comemorando o aniversário da nora), bateu a porta, andou alguns passos e, quando acionou o controle do alarme/trava das portas, ele não funcionou.

ela olhou para trás e, nesse instante, um rapaz apontou um revólver pra sua cabeça e pediu a chave. outro já estava segurando a porta do carro aberta (por isso o alarme não funcionou). um terceiro disse: leva ela junto! (como assim? é a minha filha!! a minha caçulinha!!), mas o que estava armado retrucou que não precisava, que já estava com a chave - brigadinho, moço, lá no inferno seu lugar vai ser especial, com calorzinho ameno, só a 937ºC, e só 4 turnos de chibatadas, tá?

havia ainda mais um, eram 4 os meliantes, no jargão nos simpáticos policiais militares que atenderam ao nosso chamado no 190 e ficaram reclamando, em tom de gozação, da camisa do filho corinthiano.

além do carro levaram a mochila dela, com talão de cheques, um cartão de crédito, alguns documentos - o resto estava no bolso da calça, e ela aproveitou pra me dizer: tá vendo? e você reclama que a gente leva documentos e cartões de crédito no bolso! se não estivessem aqui, teriam ido também! - e coisinhas pessoais e de forte vínculo afetivo.

a rua onde aconteceu o roubo - pamplona - é bastante movimentada, o que não impediu que os sujeitos usassem arma sem nem disfarçar. havia pedestres no momento, e um deles viu toda a ação e até socorreu a nati, porque ela ficou muito, muito nervosa; passavam vários carros na hora, mas isso não inibiu os filhos da puta de ameaçarem minha filha com um revólver!

estou pouco me lixando para o carro! tem seguro, e não faz tanta falta, porque é meio que um carro reserva aqui em casa. o que me deixou puta da vida foi o fato de terem apontado uma arma para um filho meu, foi ter visto o estado em que ela ficou, foi ter imaginado que ela poderia ter sido levada junto.

eu já tive uma arma apontada pra mim e sei bem qual é a sensação (a agência bancária da qual eu era subgerente foi assaltada. o tesoureiro tinha ido almoçar com a chave do cofre no bolso, e o ladrão dizia que se eu não abrisse o cofre ele atirava. foi difícil, muito difícil). sei que ela vai se lembrar disso pra sempre, todas as vezes que sair do carro, mas não queria que essa cena fizesse parte de suas lembranças, não queria que ela fosse mais uma paulistana assustada, não queria que ela virasse estatística, não essa, pelo menos...


17 comentários:

Ruby Fernandes disse...

Amiga, posso imginar sua revolta. Na semana passada meu filho foi abordado no meio da tarde por uma pessoa portando uma faca. O pior é que ele reagiu e lutou com o cara... Graças a Deus não se machucou e nem levaram o ipod que queriam, mas fico com medo de acontecer novamente.
Te entendo muito bem e sei da sua angustia. Esse mundo está de apavorar né?
Força querida.
Bjokas.

Isabel Cristina disse...

Fátima, a violência já tomou conta das ruas e de nossas sociedade. Virou coisa normal... eu fico muito assustada com tudo isto, e temo muito pela minha família,pelos meus amigos principalmente pela minha filha. Graças a Deus sua filha está com você, viva. Vai demorar um pouco para ela esquecer o que aconteceu, mas a vida segue e diga a ela para redobrar os cuidados de agora em diante. Vivemos com medo e assustados, medo da violência, medo do trânsito (que também está matando muito!), medo da nossa letargia, que vemos a nossa sociedade se deteriorar por causa da violência, corrupção, drogas... e não tomamos qualquer atitude coletiva... onde vamos parar?

Ana Pretti disse...

Acho isso o cúmulo do absurdo viu, imagino o quanto está revoltada, eu tbm ficaria, alias só de ler seu post já fiquei, onde vamos parar???

Que Deus dê paz para vcs, ja que os homens da terra não fazem nada...

Abraços, fique bem!!!

Claudia disse...

Que horror, Fátima! Eu tb já tive uma arma apontada pra minha cabeça, quando um outro lugar onde eu trabalhava foi assaltado, sei como é terrível.
O pior é que diante de tanta violência, nos vemos agradecendo por não ter acontecido nada mais grave a ela, né?

Beijos

Ozenilda Amorim disse...

Só você para conseguir dar um tom cômico a uma história tão triste. Tô passada, não foi comigo, mas imagino como seja difícil. Esse tipo de gente não se intimida com mais nada e como sabemos a vida humana não tem valor para eles. Que bom que Papai do Céu protejeu a vida da sua filha, isso já é motivo de agradecimento. A que ponto chegamos...

Kyria disse...

Amiga, nem imagino como é difícil passar por isto.
Graças a Jesus a filhota e vocês forem bem aparados pelos anjos guardiões e ela está bem apesar do susto. Bjs

Hermilaine disse...

Oi Fátima,que coisa horrível né?Não estamos seguros em lugar nenhum,Deus nos livre.Fico feliz de não ter acontecido nada pior com ela.Agradeça ao Senhor por isso...
Beijos pra vocês.

Renata Nogueira disse...

Fátima, não pense que essa violência só ocorre em cidades grandes. Aqui nessa roça onde moro meu filho teve uma arma apontada ao meio dia à 500 metros da escola onde estuda...por causa de um celular!
É o fim do mundo mesmo!
Que bom que não a levaram junto.
Beijão

Wlady disse...

Fátima, que horror! Fiquei apavorando quando comecei a ler.tadinha da sua filha - ela está bem? Graças a Deus não levaram ela junto.
É revoltante!
bjk

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Pode deixar...rs!
Amamos o seu comentário lá no "Rostinhos Bonitos" e concordamos com você, plenamente!
Beijos nosso,

Renata Muhlhofer disse...

Fátima, há uns anos aconteceu com meu marido tb, achamos o carro batido num poste todo sujo, os bandidos derramaram comida, cerveja e ainda urinaram no carro todo, um nojo! Como a batida foi de leve, a seguradora não pagou. Ficamos com o prejuízo e muita raiva, porém NOSSAS VIDAS VALEM MAIS QUE ISSO!
Um beijo grande!

Dani - Paladar disse...

Fátima, isso é revoltante, cada vez estamos mais inseguros aqui em SP, e sempre neuróticos com tudo, ainda mais depois de passar por isso. Ainda bem q nada fizeram com ela, e com certeza eles terão um belo lugar guardado no inferno, castigo bem logo, pode esperar.

Que esse momento ruim logo ela supere.

Rose disse...

afff...eita amiga, essa violência está em todo lugar mesmo...eu não sei o que faria se um doido e idiota desse tipo apontasse uma arma pra um dos meus filhos...karaka eu moro em uma cidade tranquila de 10.000 hab. tranquila era né?? porque agora é rota de tráfico (moro perto de Foz do Iguaçú) de armas, contrabando vira e mexe é a policia federal e o exército acampados na praça da cidade atrás de bandido...acha que pode isso...arrombamento das casas acontece a luz do dia...7 horas da manhã, 4 horas da tarde...só Deus mesmo pra nos proteger...carro o seguro paga...compra-se outro sei lá, mas é a vida???
Bjinhus!!!

Lúcia disse...

Aff, que horror. E mesmo assim vc ainda conseguiu escrever um texto divertido. Também já passei por experiência parecida, sei como é a revolta, mas o mais importante é que ea está bem, o resto a gente dá um jeito, né? Se eu vir a caranga aqui em Ctba aviso! Bjins

Lidiane Vasconcelos disse...

Aff! Já estive hospedada duas vezes num hotel nesta mesma rua. Pelamor!
Nunca tive arma apontada para mim, mas para minha irmã sim. A pessoa fica em “frangalhos”... péssimo!
Graças a Deus não fizeram mal físico a sua filha. Dos males, o menor!

Fiquem bem (se possível).
Beijos

mariacarambola disse...

Oi querida, por Deus que está tudo bem. Bjos

lilly disse...

meninaaa]
que susto
dê graças a DEUS
Deus poupou sua linda filha.
imagine o que poderia ter acontecido!!!
foram bens materiais apenas.
ainda bem que um deles ainda teve presença de espirito pra ver que se já tinham as chaves podiam deixar a moça livre.
fatima, td é um aprendizado.
mas vcs são uma familia especial, DEUS cuidou e amparou.
tenham força
bjo